sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

"O amor é uma espécie de preconceito.
A gente ama o que precisa,
ama o que faz sentir bem,
ama o que é conveniente.
Como pode dizer que ama uma pessoa
quando há dez mil outras no mundo
que você amaria mais se conhecesse?
Mas a gente nunca conhece."

4 comentários:

Su disse...

...A gente nunca conhece...
E continuamos amando o que julgamos ser a nossa "alma gêmea". Até que um dia, subitamente, por um golpe qualquer do destino, acordamos e descobrimos que não, que aquela não é a pessoa que mais amamos/amaremos em nossa vida.
Algumas vezes eu fico imaginando onde estaria essa pessoa e me entristece saber que muito eu nunca chegarei a conhecê-la e por mais que a encontre, nunca acreditarei que encontrei. Assim, jamais amarei alguém o suficente (com todas as forças do meu coração).


Bjo, Doralice.

Marie Cruz disse...

É realmente complicado...Sempre achamos que encontramos nossa alma gêmea, mas o fato é que na maioria das vezes nós idealizamos uma pessoa que não necessariamente é a que está ao nosso lado. Por isso, quando vamos descobrindo os "defeitos",as "imperfeições" das pessoas que convivem conosco, nós nos decepcionamos. Acredito que alma gêmea seja aquela pessoa que nós amamos com todos os defeitos, e não uma pessoa perfeita. Mas até percebermos isso, talvez ela já tenha ou esteja passando por nós, e nem percebemos...

Tenha um ótimo final de dia... :)
Se puder me seguir...Fiz meu blog um dia desses...rs

belezaecancao.blogspot.com

;)

O mundo da Reis disse...

è o que eu sempre penso. E acabo nunca amando ninguém, porque exijo que sempre aja alguém melhor mas nunca conheço.
HAHAHA

beijo Estrela

Senhor da Vida disse...

Por isso penso em dois fatores: amor primeiro o próprio, e segundo, temos capacidade de amar quantas vezes for necessário, basta querer.
Tem gente que diz, amei uma vez só, não existe, o amor de Deus é infinito!