sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

O passado é um luxo de proprietários.
Onde poderia eu conservar o meu?
Não se pode colocar o passado no bolso; preciso ter uma casa, arrumá-lo nela.
Só possuo meu corpo; um homem inteiramente sozinho, só com seu corpo, não
pode reter as lembranças; elas passam através dele. Não deveria me queixar:
tudo o que quis foi ser livre.

(Sartre In: A náusea)

2 comentários:

Senhor da Vida disse...

Verdade, tudo que quis foi ser livre, e a liberdade tem seu preço!Bjs e bom sabado!

Paulo Boechat disse...

Bela postagem de Sartre... destino: meu face rsrs Bj.