quinta-feira, 3 de junho de 2010

''Parei, talvez, de odiar o amor. Mas o amor, na verdade, ficou lá. Duro que nem pedra. Daqueles que não vão embora nem com reza brava. Amor adolescente, pensei. Com certeza, se eu virar mulher, esse amor bobinho passa. Amor de menina boba. Tratei, então, de virar mulher. Quem sabe mudando de casa, esse amor não se mudava de mim? Nada feito. Casa nova, cama nova, novas contas pra pagar. E o mesmo coração idiota. O mesmo amor de sempre. Coisa chata, não?''

3 comentários:

Nays disse...

eu tbm acho :)

Tiabetok disse...

concordo plenamente

Lily disse...

Se for amor, não há como fugir! Deixei de ser menina faz tempo e até hoje brigo com ele: o amor, os amores... Acho que é porque o amor não tem hora, não tem lugar, não tem como, apenas se impõe.
E eu aqui, tecendo comentários...
Achei você no Blog de um menino que fala de uma menina... coisa mais linda! Aí, decidi passear onde ele passeia.
Depois eu volto.
Bjs.
Suzana Guimarães