quinta-feira, 13 de maio de 2010

"Sentado ali, bebendo, considerei a opção do suicídio, mas me senti estranhamente apaixonado pelo meu corpo, pela minha vida. Apesar das cicatrizes que marcavam meu corpo e minha existência, ambos eram propriedades minhas. Eu podia me levantar agora e sorrir com escárnio para meu reflexo no espelho da cômoda: se você tem que ir, que leve ao menos uns oito junto, uns dez, uns vinte...Era uma noite de dezembro, um sábado. Estava no meu quarto e tinha bebido muito mais que o de costume, acendendo um cigarro no outro, pensando nas garotas e na cidade e nos empregos e nos anos que ainda viriam. Olhando para o devir, eu gostava muito pouco do que via. Eu não era um misantropo ou um misógino, mas gostava de estar sozinho. Era bom estar solitário num lugarzinho, sentado, fumando e bebendo. Sempre tinha sido uma boa companhia para mim mesmo."

8 comentários:

Tiabetok disse...

sempre somos a "melhor" companhia p nós mesmos..depois disso tudo...penso seriamente em abrir minha garrafa de uisque barato, acender o meu Vogue mentolado, debruçar na janela, ouvindo Love me two times (the doors)e esperar as coisas acontecerem lentamente, da forma que só a vida sabe fazer...e ir atras com curiosidde, ver o que ela vai me proporcionar...

Fernanda Deunizio disse...

obrigado pelos morangos e pelas estrelinhas no meu dia. beijos

Rebeca disse...

Muito bom.

Mariiana Magalhães disse...

Seu blog é MUITO BOM. Vicia.
Parabéns!

Lolzinhah disse...

Ai que lindo.Suuper tocante.
*Blog Perfeito.
Sua visita é super bem vinda:
http://marcadorfluorescente.blogspot.com
(seguindo) =*

AmeninaquecomeuoBono. disse...

Cara,eu amei muito o teu blog.
Foi a minha prima que me mostrou.
Beijos menina.

Catarata do Iguaçu disse...

obrigado pelos morangos e pelas estrelinhas no meu dia. beijos [2]

http://www.hoteldompedro.com.br/

jefhcardoso disse...

Gosto de estar sempre acompanhado, e isso não é motivo para distanciar de mim mesmo.
Desde as margens do Rio do Carmo saio a convidar meus amigos do mundo, para que vejam a poesia que falo, o conto que conto e a crônica que narro. Você não conhece o Rio do Carmo? Não lhe culpo de nada. É tão pequenino o meu lugar. Mas ainda assim eu falo, pois é mundo, e quando se é mundo nunca falta o que falar.

Abraço do Jefhcardoso e lhe espero no http://jefhcardoso.blogspot.com.