quinta-feira, 13 de maio de 2010

"...Sempre achei que os dois tipos mais fascinantes de pessoas são as putas e os santos, e ambos são inteiramente destemperados, certo? Não há que abster-se: há que comer desse banquete. (...) ninguém te ensinará os caminhos. Ninguém me ensinará os caminhos. Ninguém nunca me ensinou caminho nenhum, nem a você, suspeito. Avanço às cegas. Não há caminhos a serem ensinados, nem aprendidos. Na verdade, não há caminhos..."

(Caio F. Abreu - retirado de "Carta ao Zézim")

5 comentários:

Leca disse...

...Gostei do trecho...
adoro e trabalho com os destemperos da mente...

Beijos gentis
Leca

''Tay' disse...

Adorei *-*
muito legal o trecho.

bjus =*

Isabele disse...

"Não a caminhos" Concordo totalmente :)

Tiabetok disse...

que graça seria a vida se tivessemos os caminhos já traçados e soubessemos como segui-los???
a magica da existencia é essa: uma incógnita!!! caminhas no escuro, cair no buraco e sair sozinho dele... (nossa...profundo isso!?)

Thaís Duarte disse...

isso é minha cara!
:**