segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

"E assim, aos poucos, ela se esquece dos socos, pontapés, golpes baixos que a vida lhe deu, lhe dará. A moça - que não era Capitu, mas também tem olhos de ressaca - levanta e segue em frente. Não por ser forte, e sim pelo contrário… por saber que é fraca o bastante para não conseguir ter ódio no seu coração, na sua alma, na sua essência. E ama, sabendo que vai chorar muitas vezes ainda. Afinal, foi chorando que ela, você e todos os outros, vieram ao mundo."

5 comentários:

Costureira de estrelas. disse...

Caio sempre disse tudo...

''Tay' disse...

Os textos do Caio são perfeitos.

Desirée disse...

PerfeitooooO!

Georgia disse...

Adoro Caio, mas... sei não. Há é que se ter muita força pra não ter ódio no coração e afins.

E amar não é nada fácil mesmo. Esse mesmo amor que inflama, glorifica, edifica, enebria e enaltece, também sabe arrasar feito tornado F5: quando olha o que se resta... vê-se um oco nada. Vez ou outra ele é quase bonzinho: deixa aqui ou acolá um cantinho quase intacto pra dizer 'olha lá, um dia alguém morou ali..."

Ôbèron disse...

Muito bacana seu blog. Os fragmentos de texto pinçados (à dedo, é o que parece) tem muito a dizer. Me gusta.

Certamente passarei mais vezes.
Ôbèron