quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Ainda estou lá

Nunca uma palavra tão pequena teve tanta força: VEM!
Anos atrás tu me disse isso, e eu não pensei duas vezes
FUI! De corpo, alma, coração
De pernas bambas e sorriso aberto
Antes mesmo de embarcar eu já era inteiramente tua
Fui pra te ver com as mãos, pra te ler com o olhar.
Fui pra te conhecer quem eras, muito além dos bips, das telas, das palavras...
Fui e sorri, dancei, caminhei com a paz que só um coração tranquilo proporciona. Também chorei escondida no banheiro, e descaradamente no carro
Vi teu sono, tuas manias, teu carinho, tua frieza, teus livros com lindas dedicatórias, tuas roupas ordenadas, tuas toalhas jogadas
Vi as escovas que jamais ousariam ter tocado minha boca, e vi as cobertas que tanto gostei de me cobrir.
Fui e vi muita coisa nova, inclusive acompanhei um novo ano chegar
Fui e vivi, com a digna e necessária intensidade, cada pequeno momento
E como pra mim são grandes! E tantos! E eternos!
Dias atrás tu me disse de forma diferente, com intenções modificadas, com sentimentos maduros e cientes: VEM!
Um chamado tão diferente do primeiro...
Uma palavra que me chegou tão diferente...
Mas...como explicar pra ti que desde aquele primeira vez que fui...eu nunca voltei totalmente?

- Alice A.

2 comentários:

Elzinha Coelho disse...

Lindo e tocante!!!!

A sensibilidade das tuas palavras faz-me pensar nas tantas vezes que fui sem conseguir voltar.

Beijos no coração!

António Jesus Batalha disse...

Passando pela net encontrei o seu blog, estive a folhear achei-o muito bom, feito com muito bom gosto.
Tenho um blog que gostava que conhecesse. O Peregrino E Servo.
PS. Se desejar fazer parte dos meus amigos virtuais faça-o de forma a que eu possa encontrar o seu blog para o seguir também.
Que haja paz e saúde no seu lar.
Com votos de saúde e de grandes vitórias.
Sou António Batalha.
http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/