segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Passei o fim de semana pensando, remoendo quietinha  o quanto tenho estado insatisfeita com a vida que tenho levado.
Bom, eu tenho tudo o que preciso, eu tenho casa, tenho um bom emprego, tenho minha mãe que apesar dos altos e baixos é a minha, a que eu amo. Não passo por nenhum tipo de necessidade mas me sinto incompleta.
Eu queria levantar todo dia e ir trabalhar de uma forma que não fosse tão mecânica, eu queria poder hoje largar tudo e ir realizar as coisas que eu quero, colocar os sonhos pra virarem realidade, mas eu não posso...e isso tem meio que me tirado da reta.
Ontem tudo o que eu queria era achar um zíper, sair do corpo, sumir e voltar depois com força o bastante pra colocar tudo em ordem.
Nessa horas me sinto tão criança, tão a menina chorosa que fazia casinha de lençóis quando estava triste ou brigava com a vó. Só que eu cresci e faz tempo, minha vida e meus destino estão nas minhas mãos e eu só queria um pouquinho mais de força pra não desistir, pra não magoar mais as pessoas que quero bem com cobranças infundadas, pra não ficar paralisada, pra não deixar que a negatividade que vez em quando nos visita ser companheira fiel.
Ao menos sei onde estou errando, sei que quero e preciso realizar mudanças internas e externas, talvez também faça uma casinha de lençóis e fique olhando o céu em busca de um certo alívio...só não posso mais deixar assim como está.

"Meu Deus, me ensina a aceitar, me ensina a esperar, me ensina a ver tudo o que eu vejo todos os dias e não explodir. Me ensina a ver as injustiças e acreditar que um dia isso mudará. Me ensina a ver a maldade, o orgulho e a prepotência no mundo e, mesmo assim, acreditar que o bem prevalecerá. Me ensina a ter paciência e esperar com fé a realização dos meus sonhos. Eu venho caminhando, fazendo o que eu posso, tentando ser melhor, tentando fazer alguma diferença. Eu preciso tanto, meu Deus, todos os dias, da sua força em mim, do seu perdão, do seu amor, da sua paz."

- Isabel Moraes

3 comentários:

Amanda Borba disse...

uma das formar que encontrei de vencer esse sentimento - mesmo que apenas parcialmente - foi tentar ressignifcar os meus dias. Ir pra o trabalho e extrapolar as minhas funções diárias, ir um pouco mais além sempre, reinventar. Pode não parecer o bastante de início, mas vivendo um dia após o outro, garanto que surte um efeito antes de "surtar" a gente. haha boa sorte! =)

Patrícia Pinna disse...

Boa tarde, Lih. O texto que você escolheu foi perfeito e acredito que muitas pessoas sentem-se assim também.
Verdadeiramente precisamos de pouco, a mudança principal é a do nosso interior, que só se fará se estivermos em sintonia com o universo e se tivermos um coração aberto para isso.
Não tenho muitas coisas citadas nesse texto, lamento e muito, mas tenho de agradecer pelo que tenho.
Nunca a pessoa está totalmente satisfeita, sempre existe algo a melhorar no interno e externo, é a evolução que buscamos.
Não tenho três coisas importantíssimas que esse texto relatou e com isso sofro, mas espero em Deus, assim como a autora, que tenha misericórdia de mim.
Portanto, demos graças ao que somos e temos e procuremos sinceramente mudar.
Beijos na alma e fique na paz de Deus!

Lívia Almeida disse...

Aquele dia em que você conclui, após vários pensamentos avulsos, que o que deveria ser não é, ou ao menos parte disso. Ainda dá pra se reinventar, ainda dá.