quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

"Não gosto quando as pessoas tentam se meter na minha vida com soluções mágicas. Acredito mesmo que a gente só aprende – ou não – dando cabeçadas na vida. Que a gente só aprende com as próprias experiências. Acredito também que quanto mais a gente vive, menos tolerante se torna. Acredito que as atitudes contam muito mais do que as palavras. Acredito que cidadãos que bancam os bons moços têm muito mais chances de te decepcionar. Acredito que mentira tem perna curta, como dizia minha avó. Acredito que a gente deve conhecer uma pessoa antes de se apaixonar (e não o contrário). Acredito que tudo que vem rápido demais vai embora com a mesma velocidade. Acredito que a gente só tem uma chance na vida de fazer uma grande merda. Acredito que perder a confiança é como quebrar um vaso: você pode até conseguir colar, mas vai ser sempre um vaso colado. Acredito em duendes, gnomos e em papai-noel. Mas não acredito mais em muita coisa. Não mais. Duvido até de mim mesma agora."

4 comentários:

Célia Gil, narciso silvestre disse...

É isso aí, só aprendemos com os erros e o importante é partir, não é chegar, é ter a coragem para tentar alcançar os sonhos, mesmo que, para isso, precise de enfrentar derrotas! Bjs

AugustoCrowley disse...

quanto mais o tempo passa menos somos tolerante, essa parte eu vivo refletindo, as vezes penso que é só comigo que está acontecendo.

Moran, andarilho disse...

Lih, as vezes os erros são necessários na medida em que nos educam e lapidam nosso Eu. Mas não quer dizer que precisamos errar sempre. Ter atitude, ser verdadeiro, ter auto-conhecimento, saber aproveitar as chances que a vida nos dá... tudo isso é a consolidação de alguém que está pronta para alçar voos mais altos, alguém pronta para brilhar. Tú podes, não duvides jamais. Bjs, Moran

Gisele disse...

Não existem regras...