sábado, 12 de março de 2011

"Você me perturba, joga água e sai correndo. atira pedra e me acerta de raspão, me espia no escuro e mostra língua, me xinga, me atiça. invade o meu sossego, meu refúgio, pisa no meu ninho com os sapatos sujos, na minha toca, sem saber o meu tamanho, até onde vai meu bote, você me provoca achando que não há perigo."

2 comentários:

Alê do Escrivaninha disse...

Opa passando rapidamente para deixar um forte abraço e desejar um ótimo domingo. Parabéns por sua postagem e até aproxima.

MMaria disse...

Amei, Caio sempre falando por mim. Bj