sábado, 16 de outubro de 2010

"Ela é assim um mix de tudo que se possa imaginar dentro de uma grande capacidade de apenas não ser nada em definitivo. Ela é aquilo que não consegue se encaixar em moldes pré-existentes, parece que ninguém nunca foi antes dela. Ela se incomoda com isso, às vezes, muito. Ela é cheia de sentimentos, parece que suas experiências se manifestam é no dorso do seu colo, e quase sempre, de vez em quando, tudo isso pesa. Mas não tem modo, não existe maneira que a faça ser diferente. E ainda, graças a Deus, ela é diferente. Algo que pesa e que tem o dom da leveza, algo que chora e que se manifesta em sorrisos, algo de forte, mas que se desmancha quando encontra a água."

6 comentários:

Rick disse...

Clarice é show!

Bjs!

A Escafandrista disse...

É sempre bom ler clarice, ela é um dos maiores nomes da nossa literatura e é importantíssimo termos mulheres com este status na nossa história. estou seguindo. Bom final de semana.

Lucas Tiago R. de Freitas disse...

Bonito, misturado, único.

Colecionadora de Silêncios disse...

Olá, Lih...

Esse texto é belíssimo! Nos mostra como os contrastes são essenciais na nossa nomenclatura...

Belíssimo mesmo!
Beijos

Senhor da Vida disse...

Belissimo!

Nays disse...

tão miinhaaaa ....