sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

“Quero ser seu amigo
Nem demais, nem de menos...
Nem tão longe, nem tão perto
Na medida mais precisa que eu puder
Mas amar-te como próximo, sem medida...
E ficar sempre em tua vida
Da maneira mais discreta que eu souber
Sem tirar-te a liberdade,
Sem jamais te sufocar, sem forçar tua vontade
Sem falar quando for a hora de calar
E, sem calar quando for a hora de falar...
Nem ausente, nem presente por demais....
Simplesmente, calmamente, ser-te paz!!
É bom ser amigo, mas confesso:
É tão difícil aprender!
Por isso eu te peço paciência
Vou encher este teu rosto, de alegrias e de lembranças...
Dê-me tempo,
De acertar nossas distâncias ... "

5 comentários:

Priscila Rôde disse...

Me identifiquei. Não queria mas, há teve jeito. rs

- Lara Alves disse...

Simplismente perfeitoo *-*
Beijoos ;*

Gregorio Dias disse...

as vezes a gente consegue com o tempo cmo o autor escreveu na tentativa de acertar deixar tudo certo, mas a verdade é que nunca se acerta por completo, leve o tempo que leve sempre haverá as importantíssimas desavenças, as quais são o principal meio de se aprender a acertar as coisas futuramente. Dai, depende da pessoa saber aceitar os erros e esperar chegar o novo momento do acerto....O que é o mais complicado e interessante.

Carla disse...

Muito bom, sério mesmo ;)

Luanne de Cássia disse...

Lindo, simples assim.