sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

"Eu sou sim a pessoa que some, que surta, que vai embora, que aparece do nada, que fica porque quer, que odeia a falta de oxigênio das obrigações, que encurta uma conversa besta, que estende um bom drama, que diz o que ninguém espera e salva uma noite, que estraga uma semana só pelo prazer de ser má e tirar as correntes da cobrança do meu peito. Que acha todo mundo meio feio, meio bobo, meio burro, meio perdido, meio sem alma, meio de plástico, meia bomba. E espera impaciente ser salva por uma metade meio interessante que me tire finalmente essa sensação de perna manca quando ando sozinha por aí, maldizendo a tudo e a todos. Eu só queria ser legal, ser boa, ser leve. Mas dá realmente pra ser assim?"

4 comentários:

Roberta disse...

Menina, adorei seu blog!
Bom que o fim de semana tá aí pra eu ler tudo q já foi escrito por aqui!

Ganhou mais uma seguidora!
bjão!

Priscila Rôde disse...

Não gosto de nada "meio".. rs
Gostei do texto! :)

Maryama* disse...

Dá pra ser assim, sim ;)

Rafael Welter Feck disse...

um dia eu escrevi, num destes textos que hoje nem sei bem em que gaveta guardei, algo mais ou menos assim:

“bom... eu pra ti falar bem a verdade suspeito sempre das coisas simples...
ou destes tipinhos com humildade jorrando pelas ventas!!!
não há esmola por mais magra que seja
que meu santo não desconfie.”

talvez sirva agora, pois prefiro carregar comigo esta minha falta de sorriso sincera, do que pregar uma utopia inexistente, não quero ser de todo legal, demasiadamente bonzinho, neste mundo onde o que menos corre, voa!

ou talvez isso não faça sentido algum e eu só esteja arranjando motivos pra citar uma frase antiga minha que eu gosto, heheheh!!!!

bjs

@rafafeck