terça-feira, 24 de novembro de 2009

"De repente, estou só. Dentro do parque, dentro do bairro, dentro da cidade, dentro do estado, dentro do país, dentro do continente, dentro do hemisfério, do planeta, do sistema solar, da galáxia - dentro do universo, eu estou só. De repente. Com a mesma intensidade estou em mim. Dentro de mim e ao mesmo tempo de outras coisas, numa sequência infinita que poderia me fazer sentir grão de areia. Mas estar dentro de mim é muito vasto. Minhas paredes se dissolvem. Não as vejo mais, e por um instante meu pensamento se expande, rompendo limites num percurso desenfreado"

5 comentários:

Tay'' disse...

Nossa, que perfeito *-*
Adoreii !!

Hosana Lemos disse...

Caio Fernando Abreu é um dos poucos que conseguem me deixar sem palavras, estática...
Lindo o texto, bela escolha!

beijos

Brunna disse...

Realmente lindo! As palavras tocam de uma maneira significativa.
Beijos

Rafael Welter Feck disse...

uma impressão que me cabe, que me vem com este texto... sobre a mania de querer o amplo, o tudo, quando não temos nem a nós mesmos.
Os limites não estão nas fronteiras, quem dera estivessem, eles estão aqui, em mim!

mais um lindo texto...

bj

@Rafafeck

Vinicius disse...

Oi. Acredito que o texto reflete algo de ti, como também nos leva a refletir sobre nós mesmos. Um belo trecho do Caio. Bela escolha.

Abraço.