sexta-feira, 23 de outubro de 2009

'Esta velha angustia, esta angustia que trago há séculos em mim, transbordou da vasilha, em lágrimas, em grandes imaginações, em sonhos em estilo de pasadelo sem terror, em grandes emoções súbitas sem sentido nenhum. Transbordou. Mal sei como conduzir-me na vida com este mal-estar a fazer-me pregas na alma! Se ao menos endoidecesse deveras! Mas não: é este estar entre, este quase, este poder ser que..., Isto. Um internado num manicómio é, ao menos, alguém, eu sou um internado num manicómio sem manicómio. Estou doido a frio, estou lúcido e louco, estou alheio a tudo e igual a todos: estou dormindo desperto com sonhos que são loucura porque não são sonhos. Estou assim... '

3 comentários:

Débora Aquino disse...

Fernando Pessoa, esse gênio! *-*

Eu que agradeço o carinho.. Ja virei tua seguidora!
E apareça mais! =)

Beijo grande.

ursiηhα disse...

Lindo:
nao a nada que contenha mais dor que a angustia, há mais dor na angusta do que no medo.
O medo as vezes passa a angustia é algo que feri.
Bjs de mel
ursinha

G I L B E R T O disse...

Pessoa, eterno!

Sempre presente!
Sempre poeta!
Sempre lindo!
Sempre sensivel e sensibilizando a gente!

Grato por esta frase tão linda!