sábado, 20 de março de 2010

"Farei o possível para não amar demais as pessoas, sobretudo, por causa das pessoas. Às vezes o amor que se dá pesa, quase como uma responsabilidade na pessoa que o recebe. Eu tenho essa tendência geral para exagerar, e resolvi tentar não exigir dos outros senão o mínimo. É uma forma de paz... Também é bom porque em geral se pode ajudar muito mais as pessoas quando não se está cega de amor."

3 comentários:

Priscila Rôde disse...

Eu exagero muito também. Demais!

Leca disse...

oi Lih...
eu quero amar...de mais e de menos...quero amar como der...
mas sem estar cega...e com todo o meu pouco juízo...
beijos
Leca

Enajer disse...

Sou fã da Clarice pela humanização - visceral demais!!
Bom restinho de sábado.